domingo, 12 de novembro de 2017

Mister Afro Feira de Santana 2017


Foi realizado em 27/10 a eliminatória do 1º Concurso Mister Afro de Feira de Santana 2017. Este concurso teve 29 inscritos e 12 passaram para a final. Por se tratar de ser realizado em uma cidade que não valoriza a cultura afrodescendente da forma que deveria e também por ser o primeiro evento deste seguimento realizado por aqui, a coordenação do concurso considerou satisfatória a quantidade de inscritos.
Os familiares dos 21 participantes marcaram presença no Mercado de Arte Popular, onde com faixas e cartazes incentivaram seus favoritos, porém como havia sido informado desde o inicio apenas 12 iriam para a final.

Com uma comissão julgadora completamente independente sem nenhum tipo de vinculo com os participantes e ou seus familiares foram selecionados aqueles que no momento da eliminatória se destacaram já que segundo Val Conceição que é o coordenador geral do concurso, todos estavam no mesmo nível de conhecimento já que ocorreram durante a preparação diversos momentos de conscientização com rodas de conversas e um questionário que foi respondido por todos. Este questionário também foi levado em consideração na somatória dos pontos que elegeram os finalistas.
Esses são os 12 selecionados para a final do Mister Afro Feira de Santana 2017.
 MATHEUS
 LUCAS SANTOS
 RAFAEL
 MARINO
 JUSTINO
 LUCAS BASTOS
 GILDILON
 JONATHAN
 GLEYSSON
 LUÃ
ADERLAN
MARCOS VINICIUS
O Grupo Cultural Moviafro vem realizando ações que visam empoderar homens e mulheres afrodescendentes através da conscientização, enfrentamento e ocupação de espaços até então impensáveis para a realização desse tipo de evento, diz Marcos Tanfferi bailarino, coreografo,professor de educação física e coordenador do Moviafro.Os concursos de Miss e Mister Afro não estão buscando modelos de passarela e nem tão pouco modelos fotográficos, estes concursos é também uma forma de empoderar negras e negros de Feira de Santana e região e deixa-los conscientes do poder que eles tem, afirma Jacy Silva, ativista sócio-cultural, designer de cabelos e coordenadora do Moviafro.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Tudo pronto para a eliminatória do 1º Mister Afro Feira de Santana

Está tudo pronto para a realização da eliminatória do 1º Mister Afro de Feira de Santana, na noite da ultima quarta-feira(25/11) foram feitos os últimos ajustes para a penúltima etapa deste evento. Os 21 candidatos foram preparados psicologicamente e tecnicamente para na noite da próxima sexta-feira(27) representarem suas comunidades. O nervosismo de alguns é notório pois a maioria deles nunca desfilaram mas estão nivelados e com certeza a comissão julgadora terá muita dificuldade para selecionar os 12 finalistas. Além de ensaios, foram realizadas rodas de conversas com o objetivo de empoderar esses homens que agora estão bem mais conscientizados no que diz respeito a sua raça e a sua importância na construção do nosso país. 
Com a presença do jornalista Vicente Santos e da Assistente Social Amanda Amado que realizaram uma palestra de encerramento de etapa, falando sobre racismo e enfrentamento, o ultimo ensaio técnico foi bastante produtivo, onde os candidatos aproveitaram para tirar duvidas e também descontraírem antes do 1º grande dia. O coordenador geral do concurso Val Conceição, informou que está muito feliz com o desempenho dos candidatos e que a dedicação deles tem o incentivado a seguir em frente, mesmo diante das dificuldades em conseguir patrocínio. 
A advogada e psicologa Cecilia Bastos que também é diretora do Grupo Cultural Moviafro, falou sobre questões relacionadas ao resultado da eliminatória, onde todos os candidatos devem sentir-se vencedores devido as dificuldades históricas passadas pelo homem negro e ainda assim nos dias de hoje conseguirmos enfrentar os opressores de cabeça erguida.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

1º Mister Afro de Feira de Santana será conhecido em novembro.

Continuam os preparativos para a escolha do 1º Mister Afro de Feira de Santana, O Grupo Cultural Moviafro pioneiro neste tipo de evento na nossa região iniciou em setembro o processo seletivo para a escolha do 1º Mister Afro do nosso município. Foram feitas cerca de 30 inscrições de homens negros daqui e da região metropolitana que desde o dia 09 de outubro iniciaram o processo seletivo. Além da beleza estética, o Mister Afro Feira será sobretudo um homem negro empoderado e acima de tudo engajado com as questões afrodescendentes. Diz uma das coordenadoras do Moviafro, Viviane Carvalho Sorriso. Durante pouco mais de um mês, os candidatos passarão por uma série de rodas de conversas, palestras, seminários e ensaios técnicos para que todos possam estar em igualdade de condições. Haverá ainda uma eliminatória que selecionará os 12 finalistas. Acrescenta Val Conceição, coordenador geral do Moviafro.
Conheça alguns dos inscritos para a primeira edição do Mister Afro Feira de Santana 2017.
A grande final será realizada no dia 17 de novembro, ás 19h no Mercado de Arte Popular, dentro das comemorações do mês da consciência negra daquele espaço cultural que também é promovido pelo Moviafro em parceria com a ARTMAP - Associação dos Artesãos do Mercado de Arte Popular, Prefeitura Municipal de Feira de Santana através da SETTDEC/DEPTUR.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

1º Concurso Mister Afro de Feira de Santana 2017

Na noite da ultima segunda-feira(09), foram apresentados os candidatos do 1º Concurso Mister Afro de Feira de Santana 2017. Cerca de 93% dos inscritos compareceram, apenas 7% não puderam ir devido a compromissos com faculdade e trabalho, mas justificaram suas ausências. Num clima de muito otimismo, foi realizada uma roda de conversa com os coordenadores do evento que apresentaram o projeto e os objetivos que deverão ser alcançados com o 1º Mister Afro de Feira de Santana. Existe uma certa resistência por parte dos homens daqui de Feira de Santana em participar deste tipo de evento, mas é importante que a aconteça para que certas barreiras possam ser derrubadas, Val Conceição e o Coletivo Moviafro estão de parabéns pela iniciativa. Disse um dos candidatos.
Val Conceição que é o idealizador do concurso, disse que ainda tem muita coisa pra acontecer como:

  • Rodas de Conversa
  • Seminarios
  • Ensaios 
E uma eliminatória que deverá ocorrer em 29 de outubro pois até o dia da grande final é necessário tempo para preparar aqueles que forem classificados.
Mesmo com muita dificuldade, e praticamente sem recurso externo o Coletivo Moviafro em parceria com a ARTMAP - Associação dos Artesãos do Mercado de Arte Popular, vem honrando o seu principal objetivo que é EMPODERAR homens e mulheres negras dando maior visibilidade a raça negra com eventos culturais, sociais e de conscientização.
A finalíssima do 1º Mister Afro será em 17 de novembro ás 19h no Mercado de Arte Popular, dentro das comemorações do mês da consciência negra no MAP que também é uma realização do Coletivo Moviafro e ARTMAP.
Jamais existirá igualdade entre brancos e negros a menos que sejamos vistos como iguais e não como povos distintos, pois eramos todos de uma raça até que alguém resolvesse nos separar pela cor, como se expressasse o caráter de cada homem.


segunda-feira, 4 de setembro de 2017

1º Encontro Moviafro de Mulheres Negras

Foi realizado no ultimo sábado(26) o 1º Encontro Moviafro de Mulheres Negras. O evento idealizado pelo Grupo Cultural Moviafro e patrocinado pela Associação dos Artesãos do Mercado de Arte Popular - ARTMAP, reuniu um publico flutuante de cerca de 500 pessoas em sua maioria mulheres, que ouviram, interagiram e se emocionaram com relatos de 06 convidadas que formaram a mesa Tereza de Benguela.
O tema principal desse encontro foi o empoderamento da mulher negra, passando pela estética até as conquistas em todos os campos e também o enfrentamento da mulher negra diante das dificuldades em ser mulher e negra.
Julianne Silva, formanda em pedagogia e diretora do Grupo Cultural Moviafro iniciou o encontro com uma dinâmica de abertura, interagindo diretamente com a plateia levando a todos a refletirem sobre as varias formas de empoderamento da mulher negra. Em seguida Ivannide Santa Barbara, professora e uma das principais militantes do movimento negro de Feira de Santana, deu continuidade destacando os avanços da mulher negra desde a década de 1970 até agora, relatando as dificuldades que ela mesmo passou ao longo desses anos e as suas conquistas. Em seguida a mestra em historia Railma Santos, também utilizou seu tempo na roda de conversa para reforçar a necessidade de mais atenção para as comunidades afrodescendentes e o fortalecimento de ações que dignificam a mulher negra dando a elas maior visibilidade. Flavia Santana, pedagoga e trançadeira, Hely Pedreira, pedagoga e Vivian Nery também pedagoga e professora da rede municipal de ensino enfatizaram as questões de feminicidio, intolerância sexual e crimes contra as comunidades quilombolas. A intolerância religiosa também foi destaque neste encontro que apesar do tema ser voltado ao empoderamento da mulher negra houve uma serie de debates sobre outros assuntos que direta ou indiretamente estão ligados.

Durante o 1º Encontro Moviafro de Mulheres Negras, também foram montados diversos stands onde aconteceram oficinas de tranças afro, turbantes, maquiagem para pele preta e exposições de acessórios afro e cosméticos artesanais.
Segundo o coordenador geral do Moviafro Val Conceição, existe uma grande necessidade de realizar mais eventos desse nível para reduzir as dificuldades que as mulheres negras passam para serem aceitas em igualdade de condições nos mais diversos seguimentos da sociedade. Para finalizar o Encontro Moviafro de Mulheres Negras, O Grupo Afro Meji e o Grupo de Samba de Roda Arrastão do Palitó fizeram a parte cultural do evento.

Nota de Repudio

O Grupo Cultural Moviafro vem a público, por meio desta nota, manifestar seu total repúdio e dizer da sua preocupação com relação aos comentários que foram publicados recentemente no site do Programa Acorda Cidade. Em matéria assinada pela jornalista Andréa Trindade sobre a apresentação da rapper paranaense Karol Conca que provavelmente acontecerá aqui em Feira de Santana. É  inadmissível que ainda tenhamos que conviver com pessoas que se comportam dessa forma nos dias de hoje, o que nos assegura que ainda existe racismo e preconceito sim. nós do MOVIAFRO isentamos o Programa Acorda Cidade e a jornalista Andréa Trindade, pois sabemos que não compactuam com tais atos. Entretanto, passaremos a ficar mais atentos em relação a isso porque recentemente realizamos um evento sobre o empoderamento da mulher negra que teve uma excelente recursão graças a cobertura desse programa e vimos alguns comentários racistas, preconceituosos e machistas. Lamentamos que nenhum meio de comunicação tenham ferramentas para impedir esse tipo de comentários, mas o Programa Acorda Cidade retirou imediatamente do seu site tais absurdos.

Estes fatos ocorridos são profundamente lamentáveis, e chamam a atenção para a necessidade urgente de discutirmos mais profundamente o racismo e toda e qualquer forma de discriminação, além da realização de atividades educativas, sem perder de vista os processos e possíveis desdobramentos punitivos. Não toleramos o questionamento de identidade étnica, sexual, de gênero, religiosa ou de qualquer natureza.
Dessa forma, o GRUPO CULTURAL MOVIAFRO com este ato, se solidariza com todos que têm sofrido algum tipo de constrangimento e discriminação e reafirma o compromisso com a promoção da igualdade étnico-racial, de gênero, sexual, religiosa, repudiando toda e qualquer manifestação de preconceito para com negras, negros, indígenas, quilombolas, mulheres, homossexuais e todos os grupos sociais historicamente discriminados nesse pais.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

EMPODERAMENTO: NÃO É SOBRE O TAMANHO DO SEU BLACK POWER

Atualmente o termo EMPODERAMENTO tem sido muito empregado dentro de alguns grupos de lutas sociais. Ele é utilizado (ou deveria ser) para denominar o processo no qual uma pessoa se conscientiza e "se dá conta do seu poder". Empoderar-se é reconhecer-se enquanto sujeito(a) social, politico(a), autor(a), da sua própria historia e capaz de lutar por direitos que não são só seus,mas também de um grupo. Empoderamento é singular e é plural. Singular no sentido de que é um processo individual e pode ocorrer pelas mais diferentes motivações. Plural porque por meio do empoderamento aprendemos que a luta é coletiva, em prol das irmãs e irmãos.Ser empoderado(a) é elogiar um(a) companheiro(a), é defender os seus iguais que estão em situação de opressão,combater e denunciar o racismo - mesmo nas redes -, é inspirar e mostrar que as nossas características físicas não devem ser uma limitação para chegar onde queremos e que podemos sim ocupar qualquer espaço. É dizer pra uma preta que está com a auto estima fragilizada o quanto ela é linda. É enxergar e respeitar a beleza que existe na diversidade das nossas cores de pele,tipos de cabelo e formas do corpo. Inspirar e ensinar a cuidar da nossa estética também é empoderar. Pretos(as), ser empoderado(a) transcende o campo estético,então não vamos utilizar o termo como sinônimo de beleza,estilo ou algo parecido,certo? - Embora pessoas empoderadas sejam sempre bonitas,mas nem sempre vice-versa - ser empoderado(a) é entender que estamos juntos nessa luta e que somente juntos é que podemos ser de fato livres. Não estamos numa briga de ego. Vamos empoderar os nossos iguais e espalhar coisas boas por ai.

"Eu não serei livre enquanto houver"pretos(as) que não são, mesmo que suas algemas sejam muito diferentes das minhas".